home | news

Post

Reestruturação de empresas: 12 sinais que é hora do seu negócio passar por esse processo

imagem postagem
23/07/2019

Com tantas mudanças acontecendo no cenário econômico mundial, e especialmente  no Brasil, é natural que a reestruturação de empresas chame a atenção de organizações preocupadas em manter a saúde dos negócios.

O processo permite entender os rumos que a empresa está tomando e descobrir como superar desafios para voltar a gerar resultados positivos. Um meio eficiente para se precaver da recuperação judicial e até mesmo falência.

Afinal, mudanças internas e externas acontecem e é preciso estar preparado para contorná-las da melhor forma possível. Até porque a vida empresarial também tem seus desafios e pode atravessar momentos difíceis. O segredo para vencê-los, no entanto, é identificar os sinais de que sua empresa precisa de ajuda.

Percebeu que algo não vai bem em sua corporação? 

Assim como doenças que começam com brandos sintomas, uma empresa também demonstra indícios de que algo não vai bem. Entretanto, quanto antes os problemas forem detectados mais cedo poderão ser resolvidos. 

Preparamos este artigo para te ajudar a identificar os sinais de que é hora de investir na reestruturação de empresas. Acompanhe!

1. A empresa tem falta de capital de giro

Com a queda das vendas de serviços ou produtos e aumento da competitividade, os preços dos serviços e produtos tendem a cair e a ser parcelados e, se custos permanecem os mesmos, a empresa passa a ter dificuldade de fluxo de caixa. Os bancos, avaliando este  cenário desfavorável, passam a não autorizar novos créditos.

2. Endividamentos bancários acontecem mais vezes

Como em casos de recuperação judicial os bancos se tornam os principais credores das empresas envolvidas, fica fácil se endividar ainda mais. 

Embora buscar esse tipo de ajuda para cobrir resultados negativos seja uma prática comum no mercado, não funciona quando a crise já está instaurada. Só aumenta o endividamento e o custo da empresa, já que os juros são significativos. Além disso, quanto maior forem as garantias fornecidas às instituições bancárias, mais insustentável pode se tornar a situação.

3. Atrasos no pagamento de fornecedores e funcionários se tornam frequentes

Atrasar o pagamento a vencimentos de fornecedores ou folha de pagamento de funcionários é outro perigoso sinal de alerta. 

Como uma via de mão dupla, envolve não só problemas de produtividade como também despesas extras.

No caso do atraso de salários, as consequências são o descontentamento dos colaboradores e multas jurídicas na esfera trabalhista.

Já no caso dos fornecedores, afeta a produção e o fornecimento de matéria-prima, além de elevar o custo operacional, devido a quebra de contratos, com o pagamento de multas, juros, correções monetárias e até custas de cartórios devido a protestos.

4. Demissões se tornam uma solução para ter mais dinheiro em caixa

Outro sinal nítido de que é hora de pensar na reestruturação de empresas é quando uma organização passa a demitir colaboradores para ter mais dinheiro em caixa. Uma decisão tomada, muitas vezes, no desespero para tentar normalizar as finanças da empresa. Entretanto, nem sempre é a solução, pois se por um lado elimina custos, por outro gera despesas imediatas no caixa da empresa.

5. Os resultados negativos começam a se acumular

Como a saúde de uma organização pode ser medida pelos seus resultados, é possível notar que se estão negativos a perspectiva é de queda nos lucros, o que significa um prejuízo operacional. Outro importante indício de que é preciso alterar a estrutura da empresa e realinhá-la para que possa voltar a obter lucro.

Dica: Embora aparentemente só possam ser aferidos quando já aconteceram, os resultados negativos também podem ser previstos. Para fazer isso, basta projetar o fluxo de caixa para o futuro e analisar a tendência de curto e médio prazo. Uma forma de antever a realidade e saber o que vai acontecer com a empresa nos próximos meses.

Por isso, é importante acompanhar constantemente os resultados obtidos. Assim, sempre que o retorno esperado não for alcançado é possível saber onde está o erro e quais medidas cabíveis para superá-lo.

6. Os seus produtos ou serviços ficam caros demais e a empresa perde competitividade 

Como com a crise os custos dos produtos ou serviços oferecidos se tornam mais altos, o valor de venda fica mais alto para os clientes. Com isso, eles deixam de comprar da empresa e ela perde competitividade no mercado. 

Para evitar o problema, é preciso detectar o gargalo e eliminá-lo o mais cedo possível.

7. As reclamações aumentam 

Se os colaboradores, fornecedores, parceiros, investidores ou clientes estiverem reclamando muito é hora de se questionar. O feedback deles deve funcionar como um termômetro da qualidade e da saúde da empresa. É o grau de satisfação de seus principais stakeholders. Portanto, também precisa ser considerado.

8. Problemas com parceiros fazem a organização emperrar

Já ouviu falar que nenhuma empresa consegue prosperar sozinha? Faz todo sentido quando se olha para o todo, incluindo fornecedores, colaboradores, prestadores de serviços, parceiros e sócios.

Se a empresa está enfrentando problemas com eles, é o momento de acender o sinal amarelo e identificar as causas antes que a engrenagem possa emperrar. Lembre-se que precisa da ajuda deles para ir para frente.

9. Os colaboradores apresentam baixa produtividade 

Seja por processos produtivos ineficientes, falta de recursos, problemas de gestão ou mesmo desmotivação, a baixa produtividade pode ser percebida com o aumento de retrabalhos e funcionários sobrecarregados.

Como os bens mais preciosos que toda organização pode ter é o patrimônio humano e intelectual, é necessário rever os processos produtivos para voltar a motivá-los e reter talentos.

10. As vendas estão em queda há meses

A queda nas vendas é um sinal clássico de que uma empresa pode estar em crise. Isso porque, caso persista, pode comprometer a saúde financeira do negócio.

No entanto, podem ter diversas causas, como: preço não competitivo, produtos não competitivos, aumento do desemprego, desaceleração econômica, escassez de crédito e queda do nível de confiança do consumidor.

11. Grandes talentos estão pedindo a conta

Os melhores talentos da casa estão pedindo demissão e a empresa já não sabe mais o que fazer para segurá-los? É outro sinal de alerta para a reestruturação de empresas. As coisas podem estar piorando.

12. Os custos fixos e as despesas financeiras estão aumentando

Com a redução do ritmo da atividade da empresa que está em crise, os custos fixos ficam mais altos, o que fica ainda pior caso tenha dívidas atreladas a moedas estrangeiras.

Por onde começa a reestruturação de empresas?

A reestruturação de empresas começa pela avaliação dos sinais de que seu negócio precisa de ajuda. 

Com um leque de atuação, essa revisão de processos e sistemas pode acontecer em diferentes níveis organizacionais. Pode ser: estratégica, financeira, mercadológica, organizacional, tecnológica ou geral. 

Se a sua empresa já não têm o mesmo desempenho de antes, chegou a hora de realizar mudanças estruturais imediatas para prevenir prejuízos ainda maiores.

Está se perguntando onde buscar ajuda? A resposta é: com consultorias especializadas em reestruturação de empresas, como a CLG Engenharia Consultiva.

A partir do diagnóstico da situação atual do seu negócio, apresentamos um plano de ação e alinhamos os resultados esperados. Em seguida, envolvemos todas as áreas da organização - incluindo a comercial para que possa aumentar as vendas.

A reestruturação de empresas pode envolver diversas ações, como por exemplo, remodelação da estrutura organizacional, revisão para melhoria de processos e procedimentos, redução de despesas operacionais, elaboração e controle de fluxo de caixa, plano de vendas e assertividade nas propostas comerciais, disrupção com uso de tecnologias, otimização e eficiência de recursos, venda de ativos, priorização de pagamentos e renegociação de dívidas, revisão de contratos, mudança de fornecedores, gestão de pessoas, melhoria na gestão de contratos e projetos, elaboração de eventuais reivindicações, planejamento estratégico, dentre outras atividades.

Conheça os benefícios de fazer a reestruturação de empresas com a CLG:

  • conquistar melhor desempenho em gestão e atuação;
  • melhorar o plano financeiro atual;
  • otimizar processos e recursos;
  • reduzir custos operacionais desnecessários;
  • adequar-se melhor ao cenário atual e também ao mercado;
  • aumentar a competitividade e eficiência da organização atendida;
  • ter eficiência na gestão dos contratos;
  • identificar oportunidades;
  • ter mais assertividade nas propostas comerciais.
Caso a sua empresa se encontre em uma situação mais crítica, também estamos à disposição para ajudá-la a elaborar a recuperação judicial. 

Para se precaver de problemas ainda maiores, entre em contato com a nossa equipe de especialistas para conhecer a melhor solução para o seu negócio!

Conclusão

Parar para avaliar os rumos que sua empresa está tomando é fundamental para manter sua eficiência, crescimento e competitividade no mercado. E toda organização precisa passar por isso, em algum momento.

É claro que empresas não quebram do dia para a noite, mas para evitar surpresas é importante ter atenção sobre o desempenho da companhia. E, assim, trabalhar para superar os desafios que venham a surgir.

Preparado para vencer os obstáculos atuais e voltar a manter sua empresa competitiva no mercado? Se precisar de ajuda ou surgir qualquer dúvida sobre reestruturação de empresas já sabe com quem contar!

veja também

Artigos

Fatores que impactam a produtividade nas obras de construção civil

Em obras de construção civil produtividade e lucro caminham juntos. Veja tudo o que sua empresa precisa observar para executar obras com eficiência e maior produtividade.

Artigos

Gerenciamento de projetos de obra: o que é e como ele pode ser feito

Como toda construção envolve uma série de variáveis, fazer o gerenciamento de projetos de obras nem sempre é uma tarefa fácil. No entanto, ele se faz necessário.

Instagram

CONHEçA A EMPRESA

Faça o download da apresentação e portfólio da CLG